Links da Semana #8

  1. "As máquinas vão dominar o mundo?": Essa é uma questão que me fazem frequentemente. Explico que a máquina por si só não é perigosa, mas sim como humanos mal intencionados podem utilizá-la. Francois Chollert faz uma explicação ainda mais profunda do porquê não é possível que máquinas superem a "inteligência" do ser humano e comecem a criar máquinas cada vez mais poderosas, o chamado "intelligence explosion".

  2. Para quem vive debaixo de uma pedra, é importante informar que os EUA estão discutindo se mantém ou revogam a obrigatoriedade dos provedores fornecerem internet sem restrições de conteúdo ou origem, garantindo a neutralidade da rede. A possibilidade de cerceamento do acesso por parte dos provedores sofre um Lobby constante por parte de grandes empresas de conteúdo, e as discussões parecem ter sofrido com spams e bots que fazem volume a favor da revogação. Jeff Kao faz uma análise semântica dos comentários encontrados, mostrando que a maioria dos comentários tinhas as mesmas células contextuais e clusters praticamente perfeitos, o que indica que são falsos. no final, mais de 99% dos comentários provavelmente reais são a favor da neutralidade da rede.

  3. 47% dos empregos atuais vão ser afetados pela automação e inteligência artificial, a maioria deles executados por pessoas que ganham pouco e tem baixa instrução. O progresso é inevitável, mas o que essas pessoas farão? quais os impactos na economia? David Rotman avalia o cenário atual e as previsões dos cientistas para as próximas décadas.

  4. 80% dos pacientes terminais gostaria de morrer em casa, mas apenas 20% tem essa oportunidade. Cientistas elaboraram um método para prever a possibilidade de morte 3~12 meses a partir da data atual, baseado no histórico de mais de dois milhões de pacientes. Essa abordagem permite que o assunto seja considerado e comunicado com a calma que a situação obriga.

  5. O desenvolvimento para internet acompanha diversos riscos, geralmente evitáveis pelo desenvolvedor. Este tutorial traz algumas dicas para melhorar o processo de desenvolvimento, acelerando a detecção e correção de vulnerabilidades.

  6. Benjamin Eberlei apresenta uma abordagem bem prática para decidir quais regiões do código devem ser refatoradas com mais prioridade. Através da taxa de modificação e da utilização/complexidade/valor do componente, é possível traçar estratégias de refatoração, principalmente quando o tempo é escasso.

  7. Aaron Saray disseca um código malicioso em PHP, mostrando como os hackers utilizam as construções da linguagem para dissimular o próprosito nefasto do componente.

Add a comment

Previous Post Next Post